Quando eu me tornei fraca e me esvaziei a graça de Deus me encheu para se aperfeiçoar em mim (Parte 1/2)

26.10.18




“A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza.” (2 Coríntios 12:9) Demorei muito tempo para entender esse principio de que a graça se aperfeiçoa e se manifesta durante os nossos períodos de fraqueza. Demorei a compreender que não era nos momentos que eu me achava boa o suficiente e forte que Deus estava sendo glorificado como deveria através de mim. Mas foi no momento em que meu corpo teve sua força retirada, quando eu fiquei tão fraca que não aguentei ficar em pé e me joguei numa cadeira irrompendo em um choro sofrido. Para logo depois me levantar e sair cambaleando até me jogar ao chão, encostar o rosto no piso e molha-lo com minhas lágrimas, que eu entendi que Deus me preferia fraca e não suficiente para que assim a graça Dele fosse o que mais importasse na minha vida.

Mas até chegar a esse momento teve um longo processo. Na verdade, foram anos e mais anos desperdiçando a graça, me esforçando ao extremo, dando o meu melhor, correndo atrás do vento, sem entender que Deus me desejava vulnerável, pequena e frágil, para que a graça Dele pudesse ser notória na minha vida ao invés dos frutos do meu próprio trabalho. Porque desde pequena eu aprendi a ser a melhor em tudo que eu fazia, me esforçar bastante porque sem esforço eu achava que não teria nada, depender apenas dos meus pais ou de mim mesma, mas não de Deus e de sua providência. Aonde eu não via problema em passar por cima das pessoas para conseguir o que eu queria, não me importava em ser egoísta a maior parte do tempo e nem ligava muito se isso prejudicava os outros, porque a única pessoa que não poderia sair dali prejudicava era eu. E confesso que ainda sou assim muitas vezes, mas agora o Espírito Santo me tornou consciente desses fatos.

Porém ainda havia o pior de tudo: o orgulho. Pois eu me orgulhava grandemente em ser a melhor naquilo que eu me propunha a fazer e não sabia que tudo eram bençãos de Deus, que eu ganhava sem merecer e não porque eu era boa o bastante para conquista-las. Eu não entendia sobre a graça apesar de ouvir falar sobre ela constantemente e ficar dizendo em minhas orações: “Oh Deus, perdoa os meus pecados, seja misericordioso e me dê a sua graça”. Porque eu achava que a graça dizia respeito apenas ao perdão de pecados e não há todo o resto que Deus me dava, mas eu achava que vinha de mim ou de outras pessoas, mas não Dele e de seu amor gracioso. Assim eu estava tão cheia de mim mesma e do que eu acreditava ser a verdade sobre mim que eu acabei me afundando nesse orgulho, até que o Espírito Santo veio me resgatar e me dizer com toda a sinceridade que eu era um grande nada.

Foi então que a verdade me quebrou ao meio e toda a mentira que eu havia construído por tantos anos desmoronou diante de mim. Pois o Espírito Santo me sondou e me mostrou que eu era somente uma menina que tinha medo da rejeição e que por isso eu havia tornado o orgulho uma armadura, porque era através dele que eu falsamente me amava, dizia ser boa, mostrava que não me importava com o que pensavam sobre mim. E era no orgulho que eu escondia a minha vulnerabilidade, porque eu não aceitava demonstrar que era fraca e que sentia coisas horríveis sobre mim mesma, como raiva e culpa. Não queria que ninguém soubesse os pensamentos ruins que eu tinha sobre mim e como queria desistir de quem eu era porque não aguentava mais carregar esse fardo tão pesado.

Assim quando eu me deparei com a verdadeira ‘eu’ não foi uma experiência muito boa, pois a vergonha acabou tomando conta de mim e eu não me tolerava. “Visto que vocês agora se envergonham até mesmo em pensar naquelas coisas que costumavam fazer, pois o fim delas é a morte” (Romanos 6:21). Mas o Espírito Santo não revelou quem eu era para que em mim houvesse condenação e culpa. Mas Ele trouxe todas as revelações para que me conhecesse e assim pudesse saber o que, como e onde mudar, pois quando não conhecemos a nós mesmos podemos permanecer iguais, a não ser que o próprio Espírito Santo intervenha e sem a gente saber Ele nos mude de dentro para fora, o que acontece bastante comigo. Ademais, Ele também revela tudo isso para que eu possa confessar meus pecados e pedir perdão a Jesus, pois eu cometi inúmeros pecados que não fazia ideia de que tinha feito, assim nem teria como eu pedir perdão especificamente por eles, apesar de orar sempre pedindo que Cristo perdoe todos os meus pecados e creio que Ele de fato perdoa.

E a graça entra justamente no meio disso tudo, pois é através dela que eu recebi o perdão que não merecia e ainda a chance de ser transformada quando eu estava fadada a ser a mesma o resto da vida se fosse depender de mim. A graça me olhou nos olhos e disse que eu teria o que nunca conseguiria ter por meio de esforço, então era bom eu parar de me esforçar. E que as coisas começariam a fluir de um jeito totalmente diferente a partir do momento que eu me entregasse ao relacionamento com Deus, pois o fluir viria por relacionamento e não por esforço como eu estava acostumada. Além disso, a graça me pediu para renunciar uma área muito importante da minha vida para que eu pudesse me entregar de vez ao que ela queria para mim. E digo que foi a decisão mais difícil que eu tomei na vida até o presente momento. Porque a graça me queria somente para ela e que por isso eu precisava deixar de ser a garota que corria atrás do vento, porque achava que assim que iria construir o meu futuro brilhante.

Mas eu não sabia que a graça me custaria tudo. A graça me custou mudar de estado e ir morar longe; me custou dizer adeus para os meus pais; me custou abrir mão de um emprego por meio da onde eu me sustentaria;  me custou meus amigos; me custou conforto, segurança e mordomias; me custou momentos especiais com as pessoas que eu amava. A graça fez com que houvesse discussões, tristezas profundas, criticas e julgamentos em cima de mim. A graça me custou tudo que tinha construído com a força do meu braço, e com a misericórdia e ajuda de Deus mesmo eu não enxergando na época, e eu não sabia disso sobre ela, não sabia que além de dar ela também nos pede coisas. Mas ela só fez isso porque é necessário estarmos vazios de nós mesmos para que possamos ser cheios. É preciso ter as armaduras arrancadas, ter as máscaras tiradas, as muletas jogadas fora e as zonas de conforto arruinadas, para que assim eu ficasse tão fraca ao ponto da única força que eu teria em meu corpo seria a graça de Deus se aperfeiçoando em mim.

Escrito por: Tatielle Katluryn

"As palavras que eu digo não são propriamente minhas, mas do Pai que vivem em mim." João 14:10


Deixe algo nos cometários, pode ser uma crítica, sugestão, elogio ou qualquer outra coisa.  
Quer conversar sobre algo que sentiu em relação ao texto? Desabafar, pedir ajuda, receber conselhos ou oração? Só entrar em contato.

Outros textos para você ler

4 comentários

  1. Respostas
    1. Obrigado por ler, Priê. E todos os créditos e glória a Deus, pois cada palavra e aprendizado vem Dele. Que Ele te abençoe cada dia mais.

      Excluir
  2. Eu precisava tanto ler isso ! 😔 obrigada Tati ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Glória a Deus pelo Pai ter me dado essas palavras e por Ele ter falado ao seu coração <3 permaneça nessa graça, meu bem, se agarre a ela e viva como uma pessoa perdoada e muito amada.

      Excluir

Você compraria meu livro?

Postagem em destaque

No lugar secreto há três ambientes que podemos frequentar: quarto, deserto e monte (Parte 1/3)

Dizer que somos cristãos é o mesmo que dizer que somos como Cristo. Mas apenas dizermos isto não nos faz de fato sermos como Cristo. ...