Se eu não amar a Deus antes de tudo nada serei e não adiantará fazer algo por Ele (Parte 2/2)

26.8.18



Ai eu comecei a entender que qualquer um pode fazer algo sem amor. Mas entendi também que podemos ser cristãos sem amar a Deus. Podemos ter uma aparência que faça os outros pensarem que somos espirituais, mas apenas Deus conhece o que há dentro de nós e quais as nossas motivações. Todavia, Ele não nos deixa ficar assim por muito tempo. No meu caso fiquei nesse estado de cegueira por um mês mais ou menos. Porque Ele sempre vai atrás de nós, pois sabe que se depender do ser humano acabará ficando sem mais um filho ou filha. Mas Ele não nos obriga a voltar, só voltamos se nós aceitarmos o resgate, pois Jesus diz vinde-me a mim (Mateus 11:28). Ele sabia que eu poderia continuar andando para o abismo e não me dar conta de que ficaria a eternidade sem Ele. Pois quem faz algo para Deus, mesmo sendo algo grande, se não tiver amor por Ele vai ser afastado por toda a eternidade, como Ele mesmo diz em Mateus 7:22-23: “No dia do juízo muitos me dirão: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos a seu respeito, e usamos o seu nome para expulsar demônios e para fazer muitos milagres? Mas eu responderei: ‘Vocês nunca foram meus. Vão embora, porque as suas obras são más’”.

Assim não importa se uma pessoa tem o dom de curar, falar em novas línguas, profetizar, cantar lindamente, pregar com unção, se não amar a Deus sobre todas as coisas irá ficar longe Dele por toda a eternidade. Pois nós somos seres criados para o amor. Fomos criados para o relacionamento com Deus. E pregar, cantar, dizimar, profetizar, dentre outras coisas, só vieram a ser feitos depois que o pecado entrou no mundo através da queda de Adão e Eva no jardim. Pois depois que o pecado sujou a humanidade foi necessário que houvesse cura, pois passou a existir as doenças. Se fez necessário também que houvesse o dom de palavra de conhecimento, pois algumas pessoas não conhecem ouvir a Deus e precisam que outros deem recados de Deus para elas. Além de pregar e cantar como um dos principais meios para levar o amor do Senhor as pessoas e elas serem salvas, pois por causa do pecado fomos distanciados de Deus e passamos a precisar de salvação. Desse modo, toda e qualquer obra, todo e qualquer dom, toda e qualquer vocação dita como propósito, são apenas consequências da necessidade criada após a queda no jardim.

Por isso, o Espírito Santo me disse que eu fui criada pelo Amor para o amor. Não nasci para fazer nada além de amar e ser amada. E qualquer coisa além disso é apenas uma consequência e não a finalidade da minha existência. Assim eu não posso tornar a obra de Deus como a razão do meu viver quando eu deveria viver era para amar a Ele. Porém é muito fácil amar coisas ao invés de amar a Deus. Pois a sensação de estar sendo usado por Deus, podendo fazer a diferença na vida das pessoas e vendo coisas incríveis acontecerem, podem nos deslumbrar tanto que esquecemos que isso não é nada se comparado ao amor que deveríamos sentir por Deus. Porque nós nascemos para Alguém e não para algo. Estamos aqui para nos relacionar e não para fazermos coisas grandes ou pequenas em nome de Jesus. Tudo que devemos fazer é apenas o segundo plano, pois o primeiro é ser um com o Pai, é encontrar Nele todo o nosso prazer e satisfação. O vermos como único e verdadeiro Deus, e mantendo constantemente em nossos corações que tudo isso aqui na terra vai acabar um dia.

“Todos os dons e poderes especiais que vêm de Deus terminarão um dia, porém o amor continuará para sempre. Algum dia a profecia, o falar em línguas desconhecidas e o conhecimento passarão. Porquanto agora sabemos muito pouco, mesmo com nossos dons; e a profecia dos mais dotados é imperfeita. Entretanto, quando tivermos sido aperfeiçoados, então o que é imperfeito desaparecerá.” (1 Coríntios 13:8-10). Um dia nada disso mais haverá, pois não se terá mais essa necessidade no céu e no inferno não será possível fazer. Não se precisará mais pregar, curar, libertar. “Mas se a vida de alguém for focada nessas obras? O que será dela quando nada disso mais houver?” Bem, não estou dizendo que devemos abrir mão dos dons e da obra, mas que devemos repensar quais as nossas motivações que nos levam a fazer tudo isso. Pois a minha motivação por trás das obras estava errada. Eu queria fazer tudo isso pelos motivos errados e por isso estava agindo sem amor. E o amor é o miolo da obra, assim quando a casca dela for provada pelo fogo, o que restará será apenas o miolo, e se não houver amor, então não haverá nada depois da casca ser derretida e desaparecer.

Por isso a necessidade vital de refletirmos sobre o porquê de fazermos o que nós fazemos. Pensar sobre o que nos motiva a acordar todo dia pela manhã. O que nos leva a nos arrumarmos para ir á igreja. O que nos impulsiona a orar, a ler a Bíblia, a adorar. O que nos motiva? Se não for o amor por Deus e querer passar a eternidade toda ao lado Dele, algo está errado e precisa ser consertado. O bom de tudo isso é que há conserto e ele é obtido através do Espírito Santo que vai ajeitando em nós o que está torto, jogando fora o que não presta e colocando aquilo que é santo, reto e puro. Pode ser doloroso no começo, meio e fim ser reconstruído por Ele, pois você irá se conhecer e saber o que há de ruim, errado e sujo em sua alma. Terá que encarar seus medos, defeitos e traumas. Vai retirar as máscaras e ser apenas você. Porém, Ele não te julga, nem crítica ou condena, mas perdoa, limpa e reconstrói com amor, muita paciência e sinceridade. E faz tudo em conjunto contigo quando criarem uma relação e estabelecerem o que deve ser feito, como deve ser feito e quando deve ser feito.

Portanto, reflita desde agora o que te faz um cristão. É o amor a Cristo ou amor ao que Ele pode te dar? Amor a obra? Por perseguir um propósito e desejar fazer algo grande que chame a atenção do mundo inteiro para você? Quer fazer apenas para deixar um legado e ser lembrado pelos outros como um grande homem ou grande mulher de Deus? Pois a sua única motivação deve ser o amar a Deus sobre todas as coisas, ou seja, ser e fazer por amar a Ele, porque isso é o que restará depois de tudo que conhecemos desaparecer quando estivermos com Ele no céu. Além de que é bom refletir também que ir morar no céu é ficar a eternidade ao lado de Alguém que não te deixará nunca. Então não faz muito sentido você ir para lá sem ama-Lo e nem gostar de passar tempo com Ele. Mas não se desespere, pois não estou te acusando ou tentando colocar um peso sobre seus ombros, apenas dizendo que podemos amar sim Deus sobre tudo e sermos muito felizes fazendo isso, então todo resto como pregar, desenhar, cantar ou escrever será feito por amor a Ele.

Leia a primeira parte do texto clicando aqui


Escrito por: Tatielle Katluryn


"As palavras que eu digo não são propriamente minhas, mas do Pai que vivem em mim." João 14:10



Deixe algo nos cometários, pode ser uma crítica, sugestão, elogio ou qualquer outra coisa.  
Quer conversar sobre algo que sentiu em relação ao texto? Desabafar, pedir ajuda, receber conselhos ou oração? Só entrar em contato.

Outros textos para você ler

0 comentários

Você compraria meu livro?

Postagem em destaque

No lugar secreto há três ambientes que podemos frequentar: quarto, deserto e monte (Parte 1/3)

Dizer que somos cristãos é o mesmo que dizer que somos como Cristo. Mas apenas dizermos isto não nos faz de fato sermos como Cristo. ...